Cálculo de Salário Líquido

Cálculo de salário líquido

Salário bruto


Descontos


Resultado

Eventos

Alíquota Real

Proventos

Descontos

Salário bruto
Outros
INSS
IRRF
Totais
Valor salário líquido

O que é o salário líquido?

Muito se fala sobre salário líquido e bruto, mas você sabe o que é o salário líquido e como calcular? No artigo de hoje, iremos falar sobre tudo o que você precisa saber a respeito desse assunto. Então, para saber mais sobre essa questão, é só continuar nesse artigo. Confira!

Quando se fala em salário, todo cuidado é pouco e há alguns detalhes que precisam ser observados. Por exemplo, você sabe o que é o salário líquido, que vem todos os meses na sua folha de pagamento? Entender um pouco mais sobre esse assunto é interessante para que você saiba mais sobre o seu dinheiro. Então, é só continuar nesta matéria!

O que é salário bruto?

Cálculo de Salário Líquido

Salário líquido e bruto são dois assuntos que se correlacionam. Sendo assim, para melhor entender um, necessariamente você deve entender o outro. Em suma, o salário bruto, também referido como salário base, trata-se da remuneração total de um trabalhador, sem considerar descontos.

Na grande maioria das vezes, quando você vê alguma proposta de emprego onde está estabelecido o salário, ele se refere ao valor bruto. Ou seja, sem considerar os descontos obrigatórios. O salário base não é o valor que você terá em mãos todos os meses.

O que é o salário líquido

Certo, você já compreendeu o conceito anterior, mas, e agora, o que é o salário líquido? Ele se refere ao valor que você terá em mãos todos os meses. Ou seja, nele, considera-se todos os descontos obrigatórios de cada funcionário.

Sendo assim, em qualquer entrevista ou proposta de emprego, para saber o valor real, que terá livre todos os meses, deve considerar apenas o salário líquido. No entanto, é dever do empregador pagar o valor bruto para que, dele, sejam feitos os devidos descontos.

Por que há descontos no salário?

Todo trabalhador possui os seus direitos, os quais devem ser respeitados de acordo com a CLT. Então, grande parte desses descontos servem para que os direitos sejam preservados. Dentre alguns desses descontos, podemos citar o do INSS, que é obrigatório.

O valor descontado pelo INSS é destinado aos benefícios como aposentadoria ou seguro-desemprego. Sabe quando você é demitido, mas continua recebendo? Então, isso acontece porque você contribuiu, todos os meses, com uma quantia do seu salário.

Contudo, o valor dessa contribuição varia de acordo com o seu salário bruto. Quanto maior o seu salário, maior é a taxa. Em contrapartida, quanto menor for o valo recebido por mês, menor será a sua contribuição mensal. Falaremos sobre isso mais a frente.

Quais são os descontos obrigatórios?

Atualmente, há apenas dois descontos obrigatórios, que são da Previdência Social (INSS) e do Imposto de Renda. Em relação ao INSS, já falamos que esse valor é usado posteriormente para aposentadoria ou seguro-desemprego. Mas, de acordo com a CLT, ele também garante os seguintes direitos:

  • Auxílio-doença;
  • Salário-maternidade;
  • Pensão para dependentes em situações diversas.

Contudo, o valor da contribuição ao INSS pode sofrer ajustes anuais. Então, é essencial que você fique atento a tabela. Agora, em relação ao Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), ele é calculado após o INSS, e um valor legal por dependente são deduzidos do salário bruto.

Assim como o INSS, a tabela pode sofrer alterações anuais, contudo, desde 2015 não há qualquer alteração. E, até os dias de hoje, pessoas que recebem até R$1.903.98 são isentas de pagar o Imposto de Renda Retido na Fonte.

Quais os descontos realizados para chegar ao salário líquido?

Já falamos sobre os dois descontos obrigatórios, que são o INSS e o Imposto de Renda. Então, para chegar ao valor do salário líquido, você precisa sempre subtrair o valor do INSS e do IRRF, caso o desconto seja aplicável no seu caso.

No entanto, há outros descontos que, apesar de não serem obrigatórios, são aplicáveis caso haja consentimento entre as partes e desde que sejam formalmente acordados. Dentre esses outros descontos, podemos citar:

  • Vale-transporte;
  • Alimentação;
  • Contribuição sindical;
  • Previdência Privada;
  • Assistência médica.

Sendo assim, caso você possua algum desses benefícios, você precisa descontar para chegar ao seu salário líquido. No entanto, não podemos deixar de citar que tais benefícios são facultativos. Ou seja, o trabalhador pode optar por não usufruir deles e, por consequência, não ter o valor descontado.